novembro 09, 2010

Tempo

 
Foto de autor desconhecido
Não sei guardar o tempo
tenho-o ali pendurado no armário
a escorrer-me das mãos, da vista, de tudo
preto e branco
branco no preto, nem sei bem

Parece-me alongar-se a cada dia
mas não, engano propositado
desfaz-se e devolve-me memórias como presente
safado o tempo
este tempo que me foge e me inventa
para depois me perder



Vera Carvalho

13 comentários:

Cáh disse...

Nossa, quanta coisa bela aqui;


Um Beijo

Luna Sanchez disse...

Só deixar fluir : essa é a minha lei, também.

Muito lindo aqui, vou acompanhar.

* Obrigada pelas palavras gentis lá no blog!

Beijo, beijo!

ℓυηα

A.S. disse...

Vera... o tempo! Sempre o tempo a condicionar as nossas vidas, como se todos fossemos súbditos dos minutos!
Porém, não é o tempo que passa Vera. Nós é que passamos pelo tempo! Pois o tempo continuará imutável, aguardando a nossa passagem...

Beijos!
AL

AC Rangel disse...

De uma beleza provocante. Inspiras-me:

Tão fácil guardar o tempo,
quanto fácil é beijar o anjo.
Prenda-o entre teus dedos,
como se retalho fosse.
Esconda-o na palma da mão,
um punhado de areia,
aperte-o,
não deixe que escorra,
que flua tão rápido por
teus dedos.
Envolva-o com tua alma,
não lhe deixe saídas.
Ainda ssim, compreenda,
tão fácil guardar o tempo...
por tão pouco tempo.

Beijo

Estou linkando o petalasminhas no meu blogue.
Com muito prazer.

tecas disse...

Soberbo poema Verinha!
Seria bom podermos guardar o tempo...bom! Soubeste-o guardar neste teu belo poema.
Parabens.
Bjito amigo

Carlos D disse...

todo o tempo e passado
imagens nos cabides da memoria
que me deixa encurralado
se eu dele tentar fugir

Rafael Castellar das Neves disse...

Muito bom...é bem isso mesmo...o tempo é cruel...com muito custo alivia certas coisas e devolve tantas outras, num só instante!

[]s

Nilson Barcelli disse...

Excelente, querida amiga.
Adoro a tua poesia. Pena que não escrevas mais...
Desejo-te um Feliz Natal.
Abraço, doce como a quadra...

Fanzine Episódio Cultural disse...

O Fanzine Episódio Cultural é uma jornal bimestral (Machado-MG/Brasil) sem fins lucrativos distribuído gratuitamente em várias instituições culturais, entre elas: Casa das Rosas (SP/SP), Inst. Moreira Salles (Poços de Caldas-MG) e Cia Bella de Artes (Poços de Caldas-MG). De acordo com o editor e poeta mineiro Carlos Roberto de Souza (Agamenon Troyan), “o objetivo é enfocar assuntos relacionados à cultura, e oferecer um espaço gratuito para que escritores, poetas, atores, dramaturgos, artistas plásticos, músicos, jornalistas... possam divulgar suas expressões artísticas”.

Daniel Aladiah disse...

Querida Vera
Espero que estejas bem fora do armário.
Feliz 2011
Beijo
Daniel

A.S. disse...

Vim reler-te, rever-te... e deixar um beijo!

Dias Felizes em 2011...
AL

tecas disse...

Tal como o Albino, vim reler o teu poema, Verinha. Quando voltas a escrever no blog? Ler a tua poesia dá prazer à alma.
Bjito amigo

Jorge Bicho disse...

o tempo, esse camaleão que muda a cada instante para cada um de nós.
lindo Vera
obrigado