junho 25, 2007

Partida


foto de Duarte Monteiro

há uma visão repetida
retida
na concavidade da minha retina
e há lágrimas que se juntam
à neblina da manhã

há o pulsar trémulo nos dedos da mão
e um bramido contido
que acelera a baqueta do coração

há a verdade gélida
nua
acinética
e a tua partida entornada no vinho
que verte de minha boca
ainda
céptica

há um ímpeto amargo
e um rasgo incisivo na maciez da seda
que me perfura o ouvido
e me faz cair
pena

fica a vontade
de partir
contigo

-----V.C.-----

Agradeço ao Zequinha e a todos do http://lusoprosecontras.blogspot.com/ o prémio. O vosso foi bem merecido pela franqueza, pela originalidade, pelo humorismo, pela sensualidade e por muito mais...

junho 18, 2007

Nasci numa alma mulher - Dueto


foto de Paulo César

Nasci numa alma mulher, dada ao gene de homem
Sou negra por fora, branca por dentro...
Detesto-me mais que os outros possam detestar
Todos me apontam o dedo, sequer me dão alento...

_______Revejo-me todos os dias no reflexo do espelho.
_______Comprimo as pálpebras na esperança
_______de apagar a imagem que vejo
_______e acordar no corpo que desejo

Querer me cortar, insiste a mágoa que então se mete,

minha renda é apoucada, me é sonho, quando der.
Tenho amores, pais, irmãos e ao todo somos sete.

_______Não é a robustez do meu corpo que me oprime
_______a sensibilidade.
_______Não é a minha opção de vida que me condena
_______a felicidade.
_______É a sociedade!

Se desconjura-me o teu olhar, que de longe mira,
saiba que sou mulher, magoada, mas verdadeira...

_______Triste fado
_______Não ser amada
_______Pelo corpo de homem que trago vestida.



Bruno Taborda / Vera Carvalho
(http://writer-words.blogspot.com/)

junho 05, 2007

Delicadamente broto...


foto de Helena Margarida de Sousa

absorvo cada sussurro teu
com palpitações trémulas
que me aproximam à boca
_____o coração

com a suavidade dos lábios
teço linhas
____entrelaçadas
em beijos

doces sobejos
fogem da razão
e espalham na alvorada
a brandura da tua mão

__delícias
doces
__delícias

librinam a flor
que brota em meu seio
e se abre ao alcance de um veio
onde possa enraizar

___o amor

-----V.C. -----