maio 08, 2007

Esqueleto Salino - Dueto


foto de Bruno Moniz (praia da Conceição - ilha do Faial - Açores)

no esqueleto salino das ondas
escavo abraços fósseis de náufragos
e uma luz ausente e triste
escorre-me p'las paredes do rosto
desfolhando pétalas da tua sombra

em ti sou sombra desnuda
encharcada no azul da íris dos teus olhos
mar de afagos e segredos
derramas na areia teu corpo escorrido, vazio
da mão que fora tua outrora

pudesse eu viver a quatro mãos
esta memória que de mim se apaga
(a cada pôr-do-sol nas ameias de espuma)
e tranquilamente redesenharia o teu nome
na areia húmida
do vento norte

sinto esvair-me das entranhas do teu corpo
com o fluído quente que o mar esmorece
salgadamente despojada na inquietude das ondas
delírio agitado de mulher
desejo que te afundes em mim

- Jorge Casimiro e Vera Carvalho -

40 comentários:

Bosco Sobreira disse...

Caros poetas,
Fiquei aqui, lendo e relendo essa pérola da poesia portuguesa atual.
A poética da Vera Carvalho já conheço e não me canso de admirar a força de sua leveza ao lidar com a palavra.
Parabéns ao Jorge Casimiro, perfeito nesse "diálogo" com a beleza de Vera.
Um abraço afetuoso aos dois.

ContorNUS disse...

leio nas tuas palavras, no enlevo do sentir, quimeras espessas.

E numa cúmplicidade maviosa resgatas de mim um sorriso...

voltarei sempre ao teu cais, côncavo abrigo dos teus pensamentos.

Reflexos da Alma disse...

Olá Vera !
Há tanto tempo que não tinha o Prazer da tua visita ...
Hoje sorri para ti ....
Hoje perante este belíssimo poema sorri mais que uma vez para ti ....
Vou linkar-te ... já vi que assim o fizeste a mim tambem ...
Um Abraço ? Não !
A ti deixo-te um Beijo ....

Zeca Paleca disse...

Realmente, quando meditamos bem na ênfase que é dada nos nossos dias à exortação dos dons do ser humano, mais nos leva a um conceito inspirador de medidas e esforços fiadores da vida e da sua respectiva qualidade.
E tu tens a qualidade de ganhar tempo e ganhar contra o tempo, VERINHA. Transmite-nos a paz dos teus poemas e tão-somente nos convidas à fruição da vida.
É esse o teu dom! E nunca poderemos comparar os nossos dons, porque a humildade e singeleza é que nos permitem ir mais a fundo na análise da nossa situação pessoal. O teu valor e o teu dom, são proporcionais à soma dos teus valores pessoais.
Nada de falsas modéstias, Minha Querida.
DOCE BEIJO.

Zeca Paleca disse...

E dito por mim o que soa melhor, porque sou um ZEQUINHA que corro como o vento, é dizer sem duetos salgados pelas marés cheias que

A nudez da palavra que te despe
Que treme, esquiva.
Com os olhos dela te quero ver,
que te não vejo.
Boca na boca através de que boca
psso eu abrir-te e ver-te?
É meu receio que escreve e não o gosto
do sol de ver-te?
Todo o espaço dou ao espelho vivo
e do vazio te escuto.
Silêncio de vertigem, pausa, côncavo abrigo dos teus pensamentos,
de onde nasces, morres, brilhas junto ao teu cais de quimeras espessas num enlevo de sentir.
És palavra ou és corpo unido em nada?
É de mim que nasces ou do mar salgado?
Ai amorosa confusão, te perco e te acho,
à beira de nasceres tua boca toco
e o beijo é já perder-te.
E nas palavras vernáculas do meu Zeca,
mora um homem amarrado ao ofício de limar as esquírolas
que povoam o dorso rebarbativo do amor,
ouvindo-se a voz da condição humana insatisfeita, porque as suas palavras têm o dom
de provocarem e produzirem factos.

Mas tu, DOCE VERINHA, tens um dom MUITO ESPECIAL. A tua pena desliza suavemente, deixando-nos a poesia que vem da maresia de um oceano de lágrimas.

ADORO ESSE TEU DOM!!! MUITO !!!

DOCE BEIJO

david santos disse...

Desejo ardente e são. Mas o mundo material e hipócrita nem sempre nos deixa desejar. Até os nossos desejos, quantas vezes, quantas, são atrofiados pelo poder da ignorância? Sim. Porque a ignorância também é um poder.
Adorei este teu trabalho, porque ele me fez pensar. Muito bom trabalho. Dá um abraço ao Jorge, pois bem merece. Este trabalho dava para eu estar o dia inteiro a lê-lo e a comentá-lo, mas a vida material manda-me ir andando. Eu não merecia que a vida material me dominasse, mas me deixasse pôr os meus desejos em prática, mas...
Até sempre.

as velas ardem ate ao fim disse...

Mulher e plenitude.

bjos da Vela

Miosotis disse...

Boa noite!
Retribuo a visita que fez à minha modesta casa.
E é com prazer que saboreio a doçura deste mar de pétalas suas, palavras lindas por aqui espalhadas.
E deixei-me ficar....a pairar por aqui.
Voltarei se não se importar, porque apreciei deveras sua escrita.
Volte também com suas pétalas, pelas brisas do vento Norte
Grata pela visita e pelo carinhoso comentário deixado no meu campo de miosótis.
Até amanhã!

Defensor disse...

Saudações
Belas poesias...muito bom o teu blog.
Parabéns!
Voltarei mais vezes.
Abraços cordiais

João Filipe Ferreira disse...

como já te disse no luso .-poemas éstá lindissimo.. e espero que esses duetos sejam para continuar pk ficam deslumbrantes...assim como tu:)
beijinhooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

Zeca Paleca disse...

SE não gostas da poesia clássica, julgo que isso não é nenhum problema. Eu gosto da tua poesia, porque é TUA. Por acaso saberás dizer-me porque é que eu penso assim?
Ai Verinha, Verinha...

Bia disse...

passei para dar 1 beijinho...

adorei o poema e a foto :-)

Bom fim-d-semana

Zeca Paleca disse...

Estava mergulhado na água morna da minha banheira quando, de repente, me lembrei de ti. Vim ao meu blogue e vi o beijinho que eu te pedi e tu me deste, com um muáaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, tão forte e comecei a pensar o que vai neste ser que fecha os olhos lentamente e as lágrimas desaparecem para dar lugar a doces sonhos e retribuo-te: para o teu corpo vai um beijinho. Dou-te imensos beijos e sabes o que digo?
Tenho de recomeçar a beijar-te, Verinha.Acorda, minha linda. Hoje, ainda te amo mais do que ontem.
Deixa-me sonhar...
Doce encanto!

Zeca Paleca disse...

PEPSI COLA de lata à borla no:

http://lusoprosecontras.blogspot.com

Zeca Paleca disse...

Não sei desatar nós, por isso é melhor não fazê-los, não achas Querida Verinha?
Realiza os teus sonhos doce poetisa. SÊ FELIZ!

EM FÁTIMA REZAREI POR TI.

Bom fim-de-semana encantadora VERINHA.

Reflexos da Alma disse...

Olá Vera ,
Passei para reler o teu poema e te deixar uma Beijoka !

o alquimista disse...

Na horta Faial?...foto espantosa...

Explendido texto, de uma virtuaosa e brilhante pessoa..Um olhar prende o divino sonho, ganha asas num sorriso puro, esconde a dor em teu semblante, gira a roda do futuro.
Tal como um ribeiro manso, que corre pachorrento para sul, assim viaja o teu profundo sentir, aprisionado em…pranto azul…


Bom fim de semana


Doce beijo

Zeca Paleca disse...

Corre em pachorrento para o sul?

Há cada lírico!!!!!

eheheheheheheh

SUL

Estende-se o areal e o seu brilho é uma
ideia de archotes trémulos,
à saída das tendas.
As conchas esmagadas esquecem a maré que
desce.
Sobre as dunas há um homem sentado, a
ouvir o mar,
debruçado sobre as cinzas.
Nas falésias do mundo os suícidas abrem os
braços e despenham-se.
E o sul recolhe-os, acendendo archotes,
à saída das tendas.
A roda do futuro, já não gira.


Não rima? Ah...pois não, mas isto é poesia, não é? Sem alquimia...

Hoje, ( quer dizer ontem, porque só agora cheguei)em FÁTIMA rezei por ti, DOCE VERINHA.

E disse rezando:

Durante anos os procurei,
um amor, um lugar,
um sonho de casas eternas,
um cais de outrora quando se acendiam as
lâmpadas,
durante anos te procurei,
caminhante das estrelas solitárias, das
estrelas sem nome,
brilhando sobre as ilhas, sabe-se lá onde,
em que oceanos que levaste contigo,
no grande eclipse desta vida.

AVé MARIA, Ó CHEIA DE GRAÇA!

Zeca Paleca disse...

Não sabia que tens o teu sentir aprisionado e, quando choras, as tuas lágrimas são azuis.Ainda bem, minha querida, já somos dois, porque a minha bisavó tinha sangue real e vivia na corte de El-rei.Podes crer, Verinha, eu nunca te minto e não vivo de utopias. O meu ribeiro, que por sinal não é manso, diz-me para eu me apaixonar pela vida, para eu viver cada dia com intensidade, aproveitando as coisas boas e belas que ela me dá.
Esqueço as tristezas que foram muitas e apaixono-me pela ideia de ser verdadeiramente feliz e não tenho medo, porque baixo as defesas que muitos, teimosamente, insistem em manter com medo de se magoar.
Apaixonei-me pela melhor pessoa do mundo: o ZECA PALECA.
Há um lugar para ti no meu coração, VERINHA. Eu não vivo num mundo de aparências, de alquimias, onde não se é verdadeiro e tenho sempre a coragem de mostrar o meu verdadeiro interior.
Sim, sou verdadeiro! Deixo a energia maravilhosa da minha alma fluir através do meu ser.

DOCE E PROFUNDO BEIJO PARA TI, VERINHA.

Mel de Carvalho disse...

Querida Vera,
O facto de estarmos juntas no Luso, faz com que não sinta a necessidade absoluta de te visitar aqui na tua casinha. Mas hoje, vá lá saber-se porquê, decidi vir até ao norte beber chá contigo. Sentei-me aqui nesta cadeira de tempo vago e reli este poema que já havia comentado no Luso.

Belo, sem dúvida. Aos dois um abraço da Mel
in
www.noitedemel.blogs.sapo.pt
www.maresiademel.blogs.sapo.pt

Até já, Verinha!

Zeca Paleca disse...

Minha Querida Verinha: Pois até parece que em termos de racionalidade somos menores e precários e que temos sempre um dentro de nós um ZÉ MIGUEL a contar-nos as suas histórias.Ou então, anda na nossa mente pedaços de um alquimista, que nos diz que a lagoa é bela e para ela corre um rio cheio de amor e, depois, nós lemos e dizemos: - Fantástico! Maravilhoso! Encantador! Tu escreves com a maestria dos grandes escritores.
Somos, assim, menores e precários, não logramos dobrar de todo o estado infantil. Por maior que seja o avanço pela vida fora, ficamos sempre aquém do que podemos. Por isso a credulidade e a cegueira da fé e das paixões não cessam de viajar connosco, embora deixemos pelo caminho muitas certezas, dissipadas pela luz da razão. Pouco a pouco as crenças e verdades absolutas são substituídas por convicções muito suadas, condenadas à dissolução logo que surjam outras mais fundadas.
É por tudo isto que a minha boa conduta não é alterada em livrarias, nem por qualquer mago dos sonhos ou por um qualquer alquimista à procura da sua pedra filosofal.
Confesso que só acredito nas pessoas que assumem as contingências da nossa humanidade e não se dão ao trabalho de encobrir e desmentir as suas debilidades e frafilidades, exibindo um retrato e uma máscara de pureza e presunção que lhes creditem um estatuto e uma condição de superioridade acima de toda a suspeita e dos demais.
Aprendi isto ontem em Fátima e foi meu mestre o SANDOKAN, um pobre tigre ferido que não foi à Cova da Iria para pedir o perdão dos pecados, mas sim rogar à Virgem para que lhe desse a luz para prosseguir o caminho. Rezámos ambos por ti DOCE VERINHA e aceitamos a tua "esmola" (presente do coração)perfumada com o odor das glicínias, porque quem dá a sua esmola com ternura (como tu dizes)não está à espera de retribuição por parte de quem a recebe, mas de Deus, que responde infalivelmente à imagem de abundância criada na nossa mente.
Dai e dar-se-vos-á.
Ficarei à espera das tuas glicínias.

O Sentir dos sentidos disse...

Querida Vera,
Devo confessar-te que vim até aqui hoje só mesmo para te agradecer...tua visita em meu canto.Só lamento mesmo, é que chegastes num momento de tanta dor...intensa dor. Voltarei aqui, pois já te guardei em "meus favoritos",para uma leitura sentida de verdade e assim comentarei "de verdade".hoje,não consigo raciocinar com muita lucidez...sei que me entendes.Obrigada Vera,por juntar-se aos meus amigos e me transmitir forças e carinho e mão amiga.
Beijo consentido,

Sandokan disse...

Subi e desci, tantas vezes,
o teu corpo percorrido pela música,
pelas doze cordas do Ocidente,
pelos tambores leves que trouxeste das outras
margens,
do contínuo rumos das tendas.

Não,
não adormeço, tenho frio,
tenho um sonho de águas estagnadas que me
espera ao abrir os olhos.

Hoje,
ao contemplar os jardins fechados,
recordo tudo isso,
escrevo,
parto sonambulamente,
mas não sei onde encontrar a tua morada,
os gladíolos ardentes

BEIJOS DO TIGRE DO LUSO.

Vera disse...

Adorei o dueto! Um par de poetas maravilhosos!!!

Beijinhos aos dois e parabéns

o alquimista disse...

Passei para te deixar um beijinho...

Reflexos da Alma disse...

Olá Vera,
Passei para te deixar uma Beijoka

Movimento em Defesa do Rio Tinto disse...

Imaginação como a que há aqui, precisa-se:
-procura-se um nome e agradecem-se sugestões.

Sandokan disse...

Esta noite, o luar
é um corpo branco de mulher
no azul do ar,
reclinado,
roçando a fronte do poeta
eternamente dos céus enamorado.

Mas eu sou teu Amigo,
companheiro de
longas caminhadas.
Amigo
que não esquece a estrada,
porque ela é
uma doença romântica,
um assunto do coração,
uma metáfora da vida.
Anda, vem caminhar comigo
indiferente
a esta mais longa e
violenta caminhada,
porque terás sempre
a minha
SOLIDARIEDADE

*

Vem comigo, então, ao
http://lusoprosecontras.blogspot.com

Sereia Azul* disse...

Uau! Que lindo entrelaçar de versos!

Parabéns para ti, Vera e ao poeta Jorge Casimiro.

Ambos escrevem divinamente...têm a alma na ponta dos dedos.

Um abraço de brisa marinha

Sereia Azul*

Nelson Ngungu Rossano disse...

Esses duetos poeticos são algo de maravilhoso - verso sublimes...

Adorei este poema!

=)

bj

Sandokan disse...

As lágrimas se foram,
deixando em seu lugar,
a maquilhagem da tristeza marcada.
Escorreram pelo rosto,
querendo lavar,
momentos que teimamos em chorar.
Nasceram do vazio que ficou,
e hoje fecundam,
o gosto amargo da saudade.
As lágrimas se foram,
e o que restou,
nem o tempo consegue secar...

http://lusoprosecontras.blogspot.com

Agradecemos a prestimosa colaboração que tens dado ao nosso blogue.
Bem-hajas!

Sandokan disse...

Podes dizer-me, loura princesa, por onde tens andado, que tanto tenho te procurado e nunca te tenho encontrado? Evasão sabática de comentários e postais?
Quem sabe?!

Deixo-te um poema.

A casa está vazia.
Subo as escadas e tu apareces,
às vezes,
com as cores do Outono.
Vejo um vulto, és tu
que me deixas uma marca
sobre a minha palidez.

Já não queres aprender
com o passado e só preferes
gritar, chegar ao fim da vida
para então descobrir
que não viveste.

Já não falas e não te moves,
e no entanto a minha vida estremece,
assaltada pelos teus gemidos profundos.
O pranto cresce nas ruas da amargura
porque abandonas a terra,
olhando para trás.
Então,
agora vislumbras a beleza,
a alegria que nunca tiveste,
porque os medos em que viveste
te impediram de ser feliz.
Os meus dedos continuam a fechar
os olhos...
dos guerreiros mortos.

Quero agradecer, respeitosa e sinceramente, a todos aqueles que fazem do "nosso"

http://lusoprosecontras.blogspot.com

um ponto de encontro onde a Amizade, a Paz e o Bem nos fazem sentir e viver a vida com mais AMOR.

BEM-HAJAM!


Felicito-te, também, por me presenteares com este teu maravilhoso blogue. Gosto muito de aqui "ancorar".

as velas ardem ate ao fim disse...

Bjinhos

Reflexos da Alma disse...

Olá Vera ,
Mais uma vez aqui venho, e como não postaste ainda nada... só te posso deixar uma Beijoka ...

Sandokan disse...

Eu sou o GUERREIRO LUZ , porque sonho. Sem sonhos, as pedras do caminho tornam-se montanhas, os pequenos problemas são insuperáveis, as perdas são insuportáveis, as decepções transformam-se em golpes fatais e os desafios em fonte de medo.

Liberta a tua criatividade e acredita, também, no GUERREIRO LOBO. Tu és uma pérola única no TEATRO DA VIDA.

Não vivo de pesadelos. Tenho sonhos como qualquer ser humano que procura a luz que nos guia. A vida envia-nos muitos sinais, basta estar atento e procurá-los à nossa volta.São muitos e enviados das mais diversas maneiras. Por isso sou um GUERREIRO LOBO, que mantendo a calma, sabe esperar e nunca ter medo.

Abri há pouco a janela
do meu quarto minguado,
entrou o vento
soprando forte
trazendo uma trova
e uma canção
com um refrão tão triste
que diz
que nunca mais te encontrarei.

Parti como um louco,
gemendo e chorando
e à tua porta bati.
Apareceste-me
bela e singela
com a tua leve candura
na face tinhas a lágrima da
desventura.

Soltei um grito de pânico,
que atravessou o oceano
e num rochedo fez eco
levado pelos anjos
que partiram para sempre.

Grito agudo e
lancinante
que transporto sempre no peito
deixando amargas liras
e a saudade de te ver.
Perdi-te meu AMOR.

Meus amigos e amigas: Aceitai o medo como que ele faça parte integrante das nossas vidas. Aceitai-o, mas não tenhais receio de AMAR. Aceitai especialmente o medo da mudança, mas saibamos caminhar sempre em frente apesar do bater do nosso coração nos lançar um grito lancinante como que a dizer: VOLTA PARA TRÁS!
As trevas da noite caem, mas a manhã volta de novo ainda mais brilhante.
Manteremos viva a nossa ESPERANÇA.

Com especial carinho para ti, dedico este meu poema.

Sou um GUERREIRO LOBO que habita as paragens das caçadas eternas do bosque da felicidade, o "nosso" :

http://lusoprosecontras.blogspot.com

Vinde até ele ouvir a minha história. É uma história de um Povo, e o Povo é simples como eu.

Deixo-te aqui, neste teu cantinho maravilhoso, um grande abraço de Amizade.

SANDOKAN

charlie disse...

...Sinto esvair-me das entranhas do teu corpo...o desejo que te afundes em mim...

Escreves como o mar e o mar é lindo e forte. Enche-nos de infinito. Tal como tu a escrever que entras pela alma em ondas de maré cheia.
Adorei.

Jokas
Carlos Luanda

o alquimista disse...

Hoje vou celebrar os dos da terra sem a tua companhia, misturar-me com os sons do mundo sem coisa alguma, ao partires abriste em meu coração um caminho, sonhos perdidos na espuma…


Boa semana


Doce beijo

João Filipe Ferreira disse...

http://literaturaemanalise.blogspot.com/

ola linda:)
oia coloquei as tuas informações sobre eventos neste blog...voupor tb o teu livro..n tens foto dele ou do evento?
depois mando o mail..tenho andado sem tempo:)
sorri lindo lindo como sempre fazes:)
beijaoooooooo

Jorge Bicho disse...

Vera
gostei muito deste dueto, lindo, lindo..
beijos JB

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,